Sexta-feira, 26 de Novembro de 2010

Deixa-me ir...

 

  

Vou seguir em frente...

Chega!

Ouço-te mas não te encontro.

Quero-te tanto que parei no desconhecido mas não te dás a conhecer apenas a tua voz.

A tua voz! Oh doce voz...

Faz-me lembrar teu olhar,

Teus lábios dóceis que me arrastam a continuar a tua espera, ou melhor, a não continuar,

A parar no tempo até voltares...

Disses-te que vinhas mas nada...

Apenas ouço a tua voz mas de ti...

Chega! Pára!!

Se não vens , se desistis-te de tudo o que outrora me disseras liberta-me...

Tira-me estas algemas de esperança,emoção, dor e deixa-me ir...

  

By Blueye

 

 


blueye às 20:47
| Comenta
|
Segunda-feira, 9 de Agosto de 2010

O Sonho de uma noite de Verão

 

 

Abri os olhos, olhei sobre a escuridão envolta em mim e percebi que estava a sonhar, olhei para a janela, virei-me e voltei a adormecer.

Aquela respiração que não acalmava, chegara a ficar ofegante até, enquanto sentia o teu toque inocente, o calor da tua respiração em mim. Tentei fugir como sempre  faria mas não consegui, virei-me, acalmei um pouco mas depois... não sei algo me travava mas ao mesmo tempo queria algo!

Pela primeira vez fiquei quieta apenas sentindo este misto de emoções desencadeado em mim que tu percebeste... Aquele leve toque nos meus lábios querendo mais mas que senti profundamente e travei logo a seguir... Sentia-me bem contigo ao meu lado, tua mão passando em meu ombro que meu coração sentia-o de imediato!

Mais tarde ansiei pelo teu toque, pelo teu beijo quando me seguras-te na mão senti em mim de novo aquelas sensações, mas foi subindo até ao coração e transmitiu-se de novo em minha respiração. Tentei encontrar um momento certo e beijei-te, entreguei-me... como o queria fazer!

Beijo quente e doce o teu que me envolvia. o momento não era oportuno mas só queria encontrar teus lábios, sentir aquela protecção que me transmitiste.

Senti e agarrei-o como se fosses meu, pois não existe nada que explique o que ansiei, o que senti ao olhar depois para ti mas não parei para pensar não valia a pena, teria muito tempo para o fazer depois.

Nesse momento não pensei em nada nem no dia a seguir, só sentia uma coisa: encontrar os teus lábios de volta aos meus, aquele perfume no ar, teu toque nos meus cabelos...

Vieste de encontro a mim, tentei resistir pensei em fugir mas em vão, queria-o tanto como tu, como o silêncio no ar o demonstrava, como o teu olhar doce que não via mas sentia penetrar-me...

Contigo encontrei-me e ao mesmo tempo perdi-me...

 

Amanheceu, acordei e com isso....

"Acaba o sonho, agora a realidade me possui
Naquela em que me vejo sozinho neste poema
Acaba o sonho, a minha mente conclui
Que tudo isto não passou de um grande esquema"

 

Respirei fundo, estava contente sentia-me bem mas triste ao mesmo tempo fora um sonho, o toque fora como a brisa que se sente mas passou e não deixou marcas... Voltei  a fechar os olhos e voltei-te a sentir perto... Acordas-te! Não fora um sonho... Tivera a certeza!

 


blueye às 20:37
| Comenta | ver comentários (2)
|
Terça-feira, 13 de Julho de 2010

Sensações

 

Cercam nossa vida por todo o lado...

O respirar...

O toque...

O medo...

O proteger...

O pânico...

A liberdade...

A dor....

O vento...

Envolvem-se em tudo, despertam sentimentos, outras sensações que nos fazem lutar ou simplesmente parar e reflectir em como avançar...

Sensações que amamos!

Sensações que odiamos mas que aprendemos a viver com elas.

O sabor do vento...

o inebriante aroma a menta que nos liberta a alma...

Viajamos ao seu sabor, ao seu cheiro, vivemos outros tempos, melhores ou piores mas por momentos somos quem sonhamos.

O aroma a chocolate quente no inverno nos trespassa e sentimo-nos em casa, protegidos!

Por momentos estamos com quem queremos sentimos o seu cheiro, o seu toque, o seu olhar que nos prenche por dentro, que expoe a nudez do coração, o sangue que corre em nós, a sua cor e ali não somos mais quem queremos ser mas somos a nossa pureza...

Não se esconde não vale a pena... vamos de encontro do que mais queremos, do que sentimentos sem medos, sentimos-nos protegidos!

Queremos estar ali e estamos! Aquele aroma kente, sabor ácido, toque afável, liberdade infinita, tempo que pára, abraço inesplicável de sensações irreais, mágicas mas permanetes...

Sensações que nos invadem , nos arrepiam, nos fazem gritar de loucura, de desejo, de insensatez mas lucidez e nos acalentam...

Sensações, desejos que nos fazem viver, que nos ensinam... o fechar de olhos, o descobrir, o ver sem enxergar, o sentir de nós próprios, sentir os outros, fazer da ilusão o nosso próximo passo, o próximo toque, o próximo afágo, o próximo sentir, a próxima sedução...

 

By Blueye


blueye às 20:46
| Comenta | ver comentários (3)
|
Domingo, 10 de Janeiro de 2010

....

 

 

 

 

 


Aqui sentada no chão escrevo o que sintom o que penso, escrevo o que outrora vivi, o que outrora sonhei...

A minha vida nao o que sonhei teve e tem muitos espinhos mas agora sinto-me em paz comigo própria...

O ódio corrueu-me, extinguiu-me, quase me matou...

Mas no meu coração parei de pedir vingança, fiz um esforço para perdoar no coração para conseguir viver... Perdoei por mim...

Agora sinto-me bem comigo mesmo, sinto o meu coração em paz... O meu maior erro foi ter medo de pedir ajuda... Agora é tarde... Mas não importa...

Venci... Estou viva!!!

 

 

By Blueye


blueye às 21:43
| Comenta | ver comentários (4)
|
Sexta-feira, 18 de Dezembro de 2009

Á procura...

 

Estou a tua espera onde estás?

Sinto-te mas não te encontro... Vagueio a noite... Procuro-te... Olho a volta... nada... só a escuridão e a Lua minha guia fiel que me dá forças para continuar a procurar-te...

Sento-me no chão...

Está frio...

Meu vestido branco suja-se... não me importo... Pouso  a rosa negra enebriada com o teu perfume sobre o branco... Fecho os olhos... uma lágrima cai... No meu intimo ouço-te... o teu respirar! Sinto-te... o teu toque!

Vêm não desistas de me procurar por favor.... Vem até ao limite pois eu conseguirei lá chegar... Não te vou abandonar... Não vou desistir de ti... de mim... 

Dá-me a mão...

Daqui pouco estaremos juntos nesta caminhada... voaremos os dois... numa paz infinita...

 

Começa a chover... a visibilidade diminui cada vez mais... Arrisco... Continuo... se cair será o fim mas quero-te e isso é mais forte que a minha vida...

 

Um toque na mão... Paro! Volto-me e nada...

Um toque sobre os cabelos... Dou mais uma volta e......... nada!

Devia ser a chuva, o vento a enganar...

Baixo a cabeça de tristeza com o engano...

Abro os olhos uma pegada mesmo a minha frente... Antes de me virar com esperança sinto um frio nas costas descobertas, no pescoço... Fecho os olhos... Aquele frio envade-me a cara... Viro-me sem abrir os olhos...  Meus lábios sorriem... És tu!!

 
 

Blueye:

blueye às 20:48
| Comenta | ver comentários (6)
|
Segunda-feira, 7 de Dezembro de 2009

Um pouco de Blueye...

 

Blueye...

 

Blueye é uma pessoa normal que vive no mundo como qualquer outra... Ri... Chora...

É simpática para todos para uns mais que outros, é pura (simplesmente quem a conhece muito bem é que vê melhor esta qualidade)... Ás vezes foge, mas quem é que não foge do que nos faz sofrer? dos nossos medos?

Ela foge para não sofrer para não ter que se explicar, para não chorar mais uma vez, para enterrar alguma coisa...

Não confia em muita gente e muitas vezes precisa de muito para confiar talvez por já ter sofrido as piores desilusões e abusos. Durante a sua vida aprendeu a viver sozinha, a crescer sozinha, a chorar sozinha, a levantar-se sozinha e a tornar-se mais forte...

Isso por vezes é um desafio pois há pessoas que não compreendem que para uma pessoa que vive a sua vida toda assim sem contar com ninguém seja muito dificil começar a contar os seus problemas sem mais nem menos...

Por vezes é mal compreendida por isto...

Talvez devido ás desilusões houve um momento a sua vida que se tornou uma pessoa fria e indiferente a tudo, a todos, revolto-se tanta vez contra a pessoa que mais amou no mundo e que mais a desiludiu mas no fundo sente a falta dela mas não tem coragem ou força para a procurar depois desta se ir embora sem um adeus...

Os seus medos são sobretudo esquecer-se... Esquecer-se de tudo, de quem é importante e de si... Esquecer-se dos momentos bons que já teve...

Blueye é uma pessoa que tem um longo caminho a percorrer. Longo e com curvas espero que também com algumas rectas.

 

By Blueye

 


blueye às 23:50
| Comenta | ver comentários (2)
|
Domingo, 8 de Novembro de 2009

Meu Sonhador...

 

Querido Sonhador,

 

Podia ter ido ter contigo se soubesse quem eras, podia ter-te telefonado se soubesse qual seria o teu número mas simplesmente estou a escrever-te uma carta, por muito antiquada que seja, espero que chegue a ti dentro de uma garrafa, por meio de um pombo correio, sei lá como mas que chegue.

 

Peço-te que nunca deixes de sonhar e de acreditar nos teus sonhos, peço-te que mesmo em lágrimas sobrevivas pois em ti estão todos os sonhos do mundo.

 

Mundo curioso, mundo cheio de lágrimas, de dor, vazio, tentam em vão po-lo melhor, tentam mudá-lo mas simplesmente não conseguem pois há sempre alguém a estragá-lo e enchê-lo novamente de sofrimento. Uma solução talvez a melhor era acabar com as armas todas, as legais e ilegais, simplesmente por deixar de as fabricar. Mas porque é que não o fazem? Porque são com elas que se alimentam, são com o sangue que saciam a sua sede, é nesse sangue que se deitam todas as noites, é nele que se lavam, com ele se vestem, com ele que fazem as grandes casas e que compram grandes carros. E para quê? Para se mostrarem grandes, para terem a atenção de alguém. Mas no fim acabam num caixão talvez de ouro não importa, mas depois desfazem-se em pó, o mesmo pó que as restantes pessoas, que para esses são nefastas, se tornam. E que fizeram? Nada, simplesmente derramaram sangue e tornaram o mundo ainda pior que irá matar os seus próprios filhos.

 

Por isso meu Sonhador, não pares se sonhar, não pares de nos dar algo para nos agarrar, preenche as nossas noites frias, fazendo-nos sobreviver...

Sonha por ti,  sonha por mim, sonha por todos...

Faz-nos acreditar, preenche-nos de amor...

 

Que a tua força não se desvaneça nunca...

 

Beijo com esperança,

 

Blueye


blueye às 17:56
| Comenta | ver comentários (1)
|
Terça-feira, 13 de Outubro de 2009

Outra vez....

 



Procuro em vão uma resposta, um sinal, um motivo que me faça continuar, que me faça acreditar que tudo um dia vai passar de vez, que tudo irá ser melhor...

Posso-me convencer  mas o que sinto diz o contrário, o coração sente o contrário... Estava bem, tudo ía bem mas num espaço de minutos a luz foi-se, a escuridão aproximou-se... Começei a facilar, a cair mas não chego ao fundo... Não sei se estará longe ou perto... Ao menos ainda não estou no fundo mas também não consigo parar de cair (agora que comecei a escorregar de novo)...

O abraço que pedi hoje agarrou-me um pouco nesta queda.

Agarrou-me por uns minutos, por uns segundos, como se tivesse agarrada a uma corda prestes a cai num abismo... Mas depois a forças tornam a falhar, a corda parte-se e começo a afundar-me de novo a espera do fim onde pararei inerte sem nada pensar, sem nada sentir, sem nada dizer...

 

By Blueye


blueye às 20:03
| Comenta | ver comentários (3)
|
Segunda-feira, 12 de Outubro de 2009

A dor Voltou...

 

Bastou um minuto, um segundo... a dor que outrora estava extinta acordou lá no fundo. Não consegui controlar e aumentou, aumentou até não conseguir conter as lágrimas, caíram sobre o chão frio... Não parava, mandava o meu corpo parar mas ele não me obedecia... queria soltar esta dor mas não saia por muito que gritásse apenas aumentáva.

Uma guerra que pensava que estaria vencida retornou a doer mais, a derramar mais sangue até deixar tudo inerte, sem vida ou quase sem ela...

Mas agora não havia armas, escudos, defesas... sem nada para defender-me, nem força... A força afatou-se no espaço de minutos, evaporouse para o infinito...

 

By Blueye


blueye às 23:25
| Comenta | ver comentários (3)
|
Terça-feira, 18 de Agosto de 2009

Um ano...

 

Já há uns dias que devia ter vindo escrever o post mas a verdade é que não tenho tido e vou ser sincera tenho sido um pouco preguiçosa...

 

Um ano...

Um ano de tristezas, de choro, de saudades, de medos... mas também um ano de alegrias... Neste ano houve momentos bons e maus... Os maus faz-nos avaliar como somos enquanto pessoa, sofremos é verdade mas também nos levantamos e continuamos mais fortes... Faz-nos chorar é verdade, as vezes até apetece gritar mas também serve para limpar os olhos... Serve para ver o quanto somos fortes, o que conseguimos ou não...

 

Depois vieram os bons que servem para vermos que os maus valeram a pena, é tipo uma recompensa... Faz-nos acreditar que passámos mais uma etapa má e que conseguimos sobreviver até mesmo quando pensávamos que tudo estava perdido, quando já nao valia a pena lutar, quando nos deixámos cair e simplesmente nos deixávamos ficar, quando tinhamos medo de tudo até de respirar...

Mas nos bons sentimos que valeu a pena o esforço que fizemos... A vida não é facil e estes momentos podem ser de meses, dias ou até minutos; podem ser a realização de um sonho, liberdade, descanso, minutos com a pessoa amada, uma viagem, saborear algo, pode ser algo grandioso ou algo pequenino até insignificante mas faz-nos bem por muito pouco que possa ser parece que faz milagres....

Um ano de descobertas...

 

Bem, este ano passou-se aqui no blog e obrigada a todos os leitores por acompanharem, pelos elogios, pelas palavras de força que deram e até mesmo pelo silêncio....

Espero que este blog convosco faça alguns anos... porque o blog não é só meu, é nosso...

 

By Blueye


blueye às 20:29
| Comenta | ver comentários (2)
|

mais sobre mim...

pesquisar

 

meus últimos posts

Deixa-me ir...

O Sonho de uma noite de V...

Sensações

....

Á procura...

Um pouco de Blueye...

Meu Sonhador...

Outra vez....

A dor Voltou...

Um ano...

arquivos

Novembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds