Sexta-feira, 26 de Novembro de 2010

Deixa-me ir...

 

  

Vou seguir em frente...

Chega!

Ouço-te mas não te encontro.

Quero-te tanto que parei no desconhecido mas não te dás a conhecer apenas a tua voz.

A tua voz! Oh doce voz...

Faz-me lembrar teu olhar,

Teus lábios dóceis que me arrastam a continuar a tua espera, ou melhor, a não continuar,

A parar no tempo até voltares...

Disses-te que vinhas mas nada...

Apenas ouço a tua voz mas de ti...

Chega! Pára!!

Se não vens , se desistis-te de tudo o que outrora me disseras liberta-me...

Tira-me estas algemas de esperança,emoção, dor e deixa-me ir...

  

By Blueye

 

 


blueye às 20:47
| Comenta
|
Segunda-feira, 9 de Agosto de 2010

O Sonho de uma noite de Verão

 

 

Abri os olhos, olhei sobre a escuridão envolta em mim e percebi que estava a sonhar, olhei para a janela, virei-me e voltei a adormecer.

Aquela respiração que não acalmava, chegara a ficar ofegante até, enquanto sentia o teu toque inocente, o calor da tua respiração em mim. Tentei fugir como sempre  faria mas não consegui, virei-me, acalmei um pouco mas depois... não sei algo me travava mas ao mesmo tempo queria algo!

Pela primeira vez fiquei quieta apenas sentindo este misto de emoções desencadeado em mim que tu percebeste... Aquele leve toque nos meus lábios querendo mais mas que senti profundamente e travei logo a seguir... Sentia-me bem contigo ao meu lado, tua mão passando em meu ombro que meu coração sentia-o de imediato!

Mais tarde ansiei pelo teu toque, pelo teu beijo quando me seguras-te na mão senti em mim de novo aquelas sensações, mas foi subindo até ao coração e transmitiu-se de novo em minha respiração. Tentei encontrar um momento certo e beijei-te, entreguei-me... como o queria fazer!

Beijo quente e doce o teu que me envolvia. o momento não era oportuno mas só queria encontrar teus lábios, sentir aquela protecção que me transmitiste.

Senti e agarrei-o como se fosses meu, pois não existe nada que explique o que ansiei, o que senti ao olhar depois para ti mas não parei para pensar não valia a pena, teria muito tempo para o fazer depois.

Nesse momento não pensei em nada nem no dia a seguir, só sentia uma coisa: encontrar os teus lábios de volta aos meus, aquele perfume no ar, teu toque nos meus cabelos...

Vieste de encontro a mim, tentei resistir pensei em fugir mas em vão, queria-o tanto como tu, como o silêncio no ar o demonstrava, como o teu olhar doce que não via mas sentia penetrar-me...

Contigo encontrei-me e ao mesmo tempo perdi-me...

 

Amanheceu, acordei e com isso....

"Acaba o sonho, agora a realidade me possui
Naquela em que me vejo sozinho neste poema
Acaba o sonho, a minha mente conclui
Que tudo isto não passou de um grande esquema"

 

Respirei fundo, estava contente sentia-me bem mas triste ao mesmo tempo fora um sonho, o toque fora como a brisa que se sente mas passou e não deixou marcas... Voltei  a fechar os olhos e voltei-te a sentir perto... Acordas-te! Não fora um sonho... Tivera a certeza!

 


blueye às 20:37
| Comenta | ver comentários (2)
|

mais sobre mim...


ver perfil

seguir perfil

. 11 seguidores

pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

meus últimos posts

Deixa-me ir...

O Sonho de uma noite de V...

arquivos

Novembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

subscrever feeds